Sábado, 25 de Outubro de 2014

Metodologia: (2) Ideação

Trakai|Hoya|Saboia I|Bretanha|Clare|Mann

Tentamos reproduzir a gestação de cada tema heráldico específico aplicando as seguintes etapas:

a) fixe-se uma característica visual a usar (ver traço heráldico): e.g. esmalte, figuração, atitude, etc.;

b) definir a língua (ver verbalização) utilizada na análise: inglês, anglo-normando, latim, etc.;

c) estabelecer uma ou mais palavras (ver denominante) destinadas a representar o armigerado : e.g. nome do território, apelido, linhagem, gentílico, etc. (disponibilizam-se exemplos pormenorizados ao clicar os ícones quadrados acima à direita nesta página);

d) achar outra(s) palavra(s) (ver designante) que, por semelhança fonética com a primeira, se adeqúe à criação da imagem: usam-se os metaplasmos de transformação, acréscimo, supressão e transposição;

e) repetir o procedimento até obter resultados satisfatórios (poderão compará-los com vários exemplos cifrados que propomos, ver cifra);

f) examinar, onde exista, a coerência temática (ver enredo heráldico) entre o escudo, o timbre e os suportes.

 

Temática:

Publicado por 5x11 - Carlos da Fonte às 22:00
Link do Artigo | Comentar | Favorito
| | Partilhar
Sexta-feira, 30 de Março de 2012

Metodologia: (1) Inquirição

Trakai|Hoya|Saboia I|Bretanha|Clare|Mann

Uma primeira aproximação ao problema é tentar saber tudo o que já se disse sobre ele. Isto poderá apresentar grandes dificuldades; as imagens heráldicas mais conhecidas terão vários aspectos inconclusivos, levando a curiosidade dos investigadores a produzir regularmente tentativas de explicação. Poderemos simplificar a tarefa limitando-nos à produção académica, mas a necessária contenção das suas proposições irá contrapor-se à tentadora prodigalidade dos investigadores independentes, bem presentes nas pesquisas heráldicas. A melhor estratégia talvez seja consultarmos de início um trabalho mais genérico, mas bem estabelecido, que resuma o estado da arte e, se possível, os últimos avanços. Em segundo lugar deveríamos ler tudo o que aborde os temas particulares que se evidenciem no decorrer dos trabalhos, tanto nos seus pressupostos como nos seus desenvolvimentos. Finalmente não se deverão rejeitar os géneros mais ligeiros que venham a lançar alguma luz sobre os mesmos assuntos. Resumindo, ler o mais possível referenciando apenas o essencial.

Mas a inquirição não se esgota aqui. Para além do que está escrito devemos interessar-nos também pelo que está representado. Os armoriais, cartas de armas, pedras de armas, artefactos, etc. são preciosas fontes de referência iconográfica, mesmo quando o eventual conteúdo deixe a desejar, não nos isentando por este motivo da necessária crítica. É imprescindível assimilar bem a aparência do brasonamento que se está estudar e as suas variantes cronológicas, genealógicas e culturais. Será também de ajuda a recolha de outras representações iguais ou semelhantes que possam servir de instrumento comparativo, caso as figurações correspondentes apresentem quaisquer caracteres que as distingam do habitual, mesmo em pormenores que pareçam insignificantes à primeira vista. Um leão rampante será, por certo, banal mas já não o será ao esmaltar-se em púrpura.

Outra face da mesma moeda é o conhecimento dos modos e meios de representação, a própria actividade produtiva do mundo medieval. Ao evoluirmos para a noção semântica dos traços heráldicos e dos seus designantes será necessário saber como aquele determinado desenho e esmaltes ajustam-se ao que se procurou estabelecer a montante. Mesmo sem nos aplicarmos a conhecer os diversos aspectos do domínio ideográfico na Idade Média, o estudo pormenorizado de certas figurações excessivamente geometrizadas, pode ser um desafio intimidativo.

Também será vantajoso consultar de viva voz quem esteja de algum modo vinculado pelo interesse pessoal ao nosso problema. As lendas e narrativas familiares, mesmo que pareçam não oferecer qualquer credibilidade, devem ser encaradas com o respeito, estima e reverência que o acumular dos anos lhes confere, sem por isso descurar-se a imparcialidade, integridade e objectividade da pesquisa. É inquietante a quantidade de informação perdida com a passagem das gerações e teremos, de algum modo, o dever de preservá-la por escrito. Interessa ressaltar, examinando retrospectivamente o que já fizemos neste campo, a preciosa contribuição destas narrativas para a emergência de pontos em comum que, de outra forma, apareceriam algo desvinculados.


Temática:

Publicado por 5x11 - Carlos da Fonte às 12:34
Link do Artigo | Comentar | Favorito
| | Partilhar
Quarta-feira, 28 de Março de 2012

Metodologia: (0) Introdução

Trakai|Hoya|Saboia I|Bretanha|Clare|Mann

Parte nuclear da nossa tese, a metodologia que ali desenvolvemos foi a ferramenta que permitiu alcançar com sucesso os resultados desejados. Nesta série de artigos iremos dissecar a aplicação daqueles métodos. A sequência utilizada ainda é a mesma preconizada nas Indicações Práticas da secção 3.2.2 da dissertação, se bem que alguns passos tenham sido condensados e outros desdobrados para maior clareza. O objectivo é permitir que outros consigam não apenas assimilar como também reproduzir os resultados já obtidos, auxiliando ademais à obtenção de outras conclusões ainda inéditas.

Apesar do método já ter sido usado de forma exploratória em outros contextos, será sensato limitá-lo, o mais possível, aos objectivos iniciais, ditados pelas circunstâncias específicas da tese, ou seja, escudos criados durante a Idade Média com âmbito de jurisdição territorial. Excluem-se assim, à partida, os timbres, diferenças, emblemas, bandeiras e empresas, bem como as armas eclesiásticas, institucionais e corporativas, entre outras. Não nos debruçaremos aqui nos procedimentos específicos da metodologia científica propriamente dita ou nos fundamentos da modelização, destinados a validar o processo como um todo, limitando-nos aos aspectos mais práticos que se possam aplicar à solução de cada problema. 


Temática:

Publicado por 5x11 - Carlos da Fonte às 17:21
Link do Artigo | Comentar | Favorito
| | Partilhar

Todos os direitos reservados
© Carlos Carvalho da Fonte 2009-2017
Portugal Brasil Download Universo Amostral Jerusalem
Portucalis Portingale Salerno Sagremor Eduardo


Logo Território Logo Hidrónimo Logo Capital Logo Moradia
Logo Demónimo Logo Família Logo Antropónimo Autor

Pesquisar este blogue

 

Academia.edu



Twitter


Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
19
20

21
22
24
25
26
27

28
29
30
31


Temática

alemão

análise

anglo-normando

antropónimos

aparência falante

apresentação

aragonês

armas falantes

asturiano

baixo-alemão

basco

bibliografia

brasil

capitais

castelhano

catalão

cifra

condições

d. manuel i

demónimos

dinastia

discussão

disposições

domínio

eclesiástico

eduardo

empresa

esmaltes

estoniano

eventos

família

fantasia

figurações

francês

frísio

gaélico escocês

galego

gascão

grego

hidrónimos

holandês

inglês

irlandês

italiano

jerusalém

latim

leão

leonês

lígure

lombardo

macau

metodologia

moradias

municípios

nível falante

número

occitano

picardo

placentino

portugal

português

recursos

sagremor

salerno

separações

sigilografia

terminologia

territórios

timbre

universo amostral

vexilologia

todas as tags

Arquivo Mensal

Maio 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011


cyndis list


SAPO Blogs

subscrever feeds

shopify analytics tool