Terça-feira, 27 de Dezembro de 2011

Objecção II - O Uso do Latim

P: Como se justifica o uso do latim nas parofonias heráldicas?

R: À primeira vista parece injustificável a utilização do latim medieval na heráldica, uma vez que não há menção do seu uso em quaisquer armas falantes. Convém, contudo, esclarecer que a “decisão” de classificar um brasão primitivo como falante, ocorre muito depois do mesmo ter sido criado. A sensibilidade do classificador era afectada por expectativas e condicionantes que, quase certamente, excluíam o recurso a uma língua estranha à própria nas suas cogitações. Não nos esclarece sobre as intenções ou conformidades dos restantes brasões, ainda se na área de influência limitada de cada um, possa ser coerente, pela maior parte, com a interpretação do método parofónico aqui proposto.


Torna-se fundamental compreender que a ambientação cultural sincrónica restringe a forma acabada do escudo. Um estreitíssimo espaço de tempo, durante o qual desenvolvem-se os traços heráldicos a integrar na composição final, delimita a identidade dos autores, seus domínios, vassalagens, genealogias e também as formas de comunicação. É bem sabido que o latim foi outrora a língua de eleição para os documentos escritos, mormente nas regiões em que se estabeleceram os romances. Nada mais natural empregar-se o mesmo idioma naquela outra forma de expressão igualmente escrita, apesar da ênfase visual: as armas falantes.

Chamámos língua-franca a este modo de verbalização parofónica, imitando no sentido lato uma terminologia já consagrada. O latim medievo era, efectivamente, um facilitador entre povos de línguas distintas, harmonizando o intercâmbio de informações, ideias e tradições religiosas, científicas ou literárias. Enquanto para certas culturas vai sendo substituído a pouco e pouco pelo romance, como em Portugal, noutras convive com várias influências: o anglo-normando e o inglês acompanham-no em Inglaterra. Diferente do latim clássico, muitas vezes representa o que se escreve de facto, integrando novos elementos fornecidos ao vocabulário local por fontes próprias ou até culturas alheias. Poderia apresentar ainda outras vantagens; sendo uma língua declinada mas isenta das restrições frásicas ao usar-se nas parofonias heráldicas, assistem-lhe algumas liberalidades construtivas, a facilitar o emparelhamento fonémico. Não sabemos dizer se haveria qualquer outra regra explícita na escolha do latim, para além da preferência pessoal do autor do brasão ou o maior ou menor oportunismo circunstancial na formação da parofonia.


Temática: ,

Publicado por 5x11 - Carlos da Fonte às 09:57
Link do Artigo | Favorito
Partilhar
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.


Todos os direitos reservados
© Carlos Carvalho da Fonte 2009-2017
Portugal Brasil Download Universo Amostral Jerusalem
Portucalis Portingale Salerno Sagremor Eduardo


Logo Território Logo Hidrónimo Logo Capital Logo Moradia
Logo Demónimo Logo Família Logo Antropónimo Autor

Pesquisar este blogue

 

Academia.edu



Twitter


Setembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

25
26
27
28
29

30


Temática

alemão

análise

anglo-normando

antropónimos

aparência falante

apresentação

aragonês

armas falantes

asturiano

baixo-alemão

basco

bibliografia

brasil

capitais

castelhano

catalão

cifra

condições

d. manuel i

demónimos

dinastia

discussão

disposições

domínio

eclesiástico

eduardo

empresa

esmaltes

estoniano

eventos

família

fantasia

figurações

francês

frísio

gaélico escocês

galego

gascão

grego

hidrónimos

holandês

inglês

irlandês

italiano

jerusalém

latim

leão

leonês

lígure

lombardo

macau

metodologia

moradias

municípios

nível falante

número

occitano

picardo

placentino

portugal

português

recursos

sagremor

salerno

separações

sigilografia

terminologia

territórios

timbre

universo amostral

vexilologia

todas as tags

Arquivo Mensal

Setembro 2018

Maio 2017

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011


cyndis list


SAPO Blogs

subscrever feeds